Município de Macajuba ganha cobertura 4G e 4G+ da vivo



O sinal da operadora Vivo já funciona na cidade de Macajuba com sinal 3G, e agora já tem o 4G, mas para usar a tecnologia, é preciso ter um aparelho compatível.

Foto: Montagem MA


Em contato com a vivo, a operadora confirmou a nova cobertura 4G e 4G+ na cidade.

OS chips 4G já vendem em algumas lojas comerciais, bem como a recarga dos mesmos. Agora com o novo sinal instalado, a velocidade da internet móvel melhora em termos de qualidade e velocidade.

A operadora Claro também funciona normalmente no município, inclusive em 3G, a TIM funciona de vez em quando, mas o sinal vem de cidades vizinhas.



Em testes realizados no app do Speed Test, a velocidade de Download bateu 67,3 MB de velocidade e 12,1 de uploud.



Como ativar o 4G no celular



Para checar se o 4G está ativado no seu Samsung Galaxy, basta seguir os passos abaixo:
  1. Entre nas Configurações;
  2. Toque em Conexões;
  3. Entre em Redes móveis;
  4. Em Seleção de banda, escolha LTE /WCDMA/GSM;
Pronto! Agora o seu celular vai sempre escolher a rede 4G quando ela estiver disponível.

O que é 2G, 3G, 4G e 4G+

Com certeza você está acostumado com as abreviações 3G, 4G e 4G+, e até o 5G já tem sido discutido e preparado. Essas siglas são usadas para denominar as diferentes gerações de tecnologias para internet móvel (o ‘G’ significa Generation/Geração). Nesse sentido, todas elas possuem diferenças em relação às suas especificações técnicas e protocolo.

Do ponto de vista do consumidor, a diferença mais importante é a velocidade. Cada geração nova de internet móvel chega para trazer novos patamares de velocidade, estabilidade de conexão e outras melhorias.

Internet 2G e 3G

As redes 2G foram as que dominaram a telefonia móvel na década de 90. Essa tecnologia fez seu Debut em 1991 e ao longo da década recebeu incrementos nos padrões 2.5G e 2.75G (melhorias no 2G mas que ainda não configuram outra geração). O principal padrão de especificação do 2G é o GSM (Global Standard For Mobile Communications), desenvolvido pela European Telecommunications Standards Institute. Dependendo da versão, a internet 2G pode ter velocidades que vão de 40 Kbit/s até 500 Kbit/s.

Já o 3G foi lançado comercialmente no início dos anos 2000. A especificação padrão é o IMT-2000, elaborado pela International Telecommunication Union. Pela especificação, a velocidade de uma rede 3G tem que ser no mínimo 200 Kbit/s, com as evoluções 3.5G e 3.75G alcançando a casa de vários Mbit/s.

4G e 4G+

A geração 4G foi a sucessora da 3G. O primeiro lançamento comercial foi em 2009, em Oslo, na Noruega. A geração 4G é baseado no padrão LTE (Long-Term Evolution), que por sua vez é uma evolução do GSM/EDGE e UMTS/HSPA, últimas evoluções da terceira geração de telefonia móvel.

Em tese, em uma rede 4G você alcança até 150 Mbit/s. Na prática, a velocidade de download fica em torno de 20 Mbit/s. De acordo com o último relatório da Opensignal, a Claro tinha a rede 4G mais rápida no Brasil (dados de novembro/2016) com 27.5 Mbit/s de taxa média de download.

Já o 4G+, também conhecido como LTE Advanced ou LTE-A, é uma evolução do padrão LTE para permitir maiores velocidades e melhorar a estabilidade e capacidade de propagação (o que facilita a expansão da rede de cobertura das operadoras). No 4G+ é possível alcançar velocidades de até 450 Mbit/s, com taxas médias de download tipicamente na casa dos 120 Mbit/s.

Enquanto o 5G não chega…

Até a chegada da 5G, esperada para algo em torno de 2020, o 4G+ terá tempo de se expandir e popularizar mais à medida que a cobertura das operadoras também se expanda e os preços dos planos fiquem mais palatáveis. Se você quer saber o quão melhor a rede 4G+ é em relação ao 4G tradicional, fica a explicação do próprio Átila Branco, da Vivo, sobre a questão:
“A rede 4G+ tem dois grandes benefícios. Como estamos agregando frequências baixas com frequências altas, além de se alcançar taxas de download e upload maiores, o nível de cobertura melhora muito. Portanto, além de cobrir mais clientes, melhoramos a experiência de conectividade de todos. Além disso, o uso de frequências de 700MHz e 1800MHz no 4G pode ajudar na aceleração da adoção da Internet das Coisas, uma vez que os dispositivos IoT tendem a usar essas frequências. Qualquer cliente que tenha aparelho que suporte essas frequências está habilitado a experimentá-las. É importante que o mesmo esteja habilitado à funcionalidade de 4G+”.



O conteúdo do Macajuba Acontece é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.






Postar um comentário

0 Comentários