sexta-feira, 11 de outubro de 2019

VÍDEO: Professora apanha e é xingada por mãe de aluna em saída de colégio em MG




Via Uol - Uma professora da rede estadual de ensino apanhou e foi xingada de "vagabunda" pela mãe de uma aluna, no meio da rua, em Franciscópolis (MG), a 450km de Belo Horizonte. Um vídeo das agressões está circulando nas redes sociais e, segundo o sindicato que representa os profissionais em educação, mostra que a agressora agiu de "má-fé" porque planejou a ação.





O Sind-UTE diz que vai entrar com uma queixa-crime na polícia contra a mãe da estudante. De acordo com a entidade, a agressora foi ao colégio no último dia 1º, onde conversou com a direção. Ela relatou que a filha havia sido maltratada pela professora.

A providência do colégio, ainda de acordo com o sindicato, foi conversar com outros alunos para verificar se havia ocorrido o desentendimento. Os estudantes negaram a confusão relatada pela mãe, que, inconformada, teria ido tirar satisfação com a educadora.



No início do vídeo, é possível ver a agressora empurrando a professora. Ela está de capacete e mochila, tenta se esquivar e pede para ela parar. "Para, moça", diz ela, várias vezes.

"Você não é mulher, não?", pergunta a mãe, antes de começar a bater e puxar o cabelo da professora, que cai no chão e recebe socos.

Uma pessoa, aparentemente adolescente, se aproxima e pede para a mulher parar, dando a entender que é sua filha. "Para, mãe", diz.

A agressora, porém, derruba mais uma vez a educadora com um soco, a chama de "vagabunda" e fala do suposto maltrato contra a filha. "Por que você maltratou a minha filha na escola, demônio?", pergunta.

Em seguida, a vítima sobe na moto, mas a agressora não a deixa sair. A educadora, então, atravessa a rua e, na garupa de outra moto com um homem, vai embora.
O Sind-UTE emitiu nota de repúdio e informou que vai registrar queixa-crime na polícia.

Para o coordenador da entidade na região, Eric Bomfim Fontoura, a agressora agiu de má-fé e planejou o ataque. "[Foi um] ataque que não havia cabimento nenhum de ser feito dessa forma. Se ela estava insatisfeita com a servidora, os amparos legais existem. Existe o Conselho Tutelar, existe o Ministério Público. Não é fazendo como essa mulher fez que nós vamos conseguir melhorar a educação nesse país".

Em nota, a Secretaria de Educação de Minas Gerais confirmou que quem aparece no vídeo é a mãe de uma aluna e uma professora, mas, apesar de ter sido questionada pela reportagem, não explicou o motivo das agressões.



"Sobre a situação ocorrida nas proximidades de uma escola no município de Franciscópolis envolvendo a mãe de uma aluna e uma professora, a Superintendência Regional de Ensino de Teófilo Otoni, responsável pela coordenação da unidade, está acompanhando o caso e a direção da escola prestou todo o suporte necessário à funcionária da instituição. A Polícia Militar registrou boletim de ocorrência e o caso está sendo apurado pelos órgãos competentes".



O conteúdo do Macajuba Acontece é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Copyright © Macajuba Acontece | O Portal de Notícias de Macajuba e Região | Direção: Max Ribeiro